Das cenas que voltam como um filme

21 . 12 . 2016

Eu faço um esforço danado pra revisitar momentos bons. E poucas vezes consigo. Ou consigo com flashes, pedacinhos, erros de continuidade e coisas do tipo. Talvez seja assim com a maioria das pessoas.

Perdi as contas do tanto de esforço que já fiz pra lembrar de dias massas e de noites gostosas. Quando acontece, é incrível. Dá até um arrepio no corpo inteiro, acho que é a sensação de voltar no tempo e viver de novo o que foi bom.

Mas lembrar de coisas ruins, mermão, isso eu sei fazer.

Acho que eu sou uma pessoa traumatizada. E eu não consigo evitar. Eu guardo elas na gavetinha da cabeça, tento trancar com chave, mas dão um jeito de sair. Aquelas cenas pavorosas que você queria deletar e que insistem em voltar como um filme.

Antes, eu achava que isso acontecia com fatos recentes (infelizmente, os bons, sejam recentes ou antigos, eles vão ficando esquecidos ou mal contados na memória). Aí foi só colecionar bad vibes nesse final de ano que várias outras cenas surgiram claras como no dia em que aconteceram. O tanto que isso é bizarro eu não sei.

Só que parece um jeito do próprio corpo se sabotar.

imagem: heather carr

-    ,  -


Próximo post

3 Comentários

comentar →

  1. Jacque,

    Não sei exatamente do que tu relata, mas presumo que seja ruim. E com certeza é uma maneira da mente se sabotar. Auto sabotagem, essa eu conheço! Eu tenho muito medo de quando coisas muito boas acontecem comigo, porque parece que em seguida virão as ruins. E se paro pra pensar e refletir sobre isso, quando percebo meu coração tá apertado, e fico triste. E as vzs a gente quer guardar essas coisas com chave, mas n adianta, tu tens razão, elas arrumam jeito de sair. Agora, uma coisa boa: o teu blog. Me identifiquei com várias coisas, comentei, e escolhi esse post pra falar não só por ter o que falar, mas por tu ter postado no dia do meu aniversário. Espero que os momentos bons sejam tão frequentes e constantes na tua vida, que nem dê tempo de se esforçar pra revisitá-los e dar chance pras memórias ruins.

    Beijo carinhoso.

    • Kaka, que coisa linda te ler. Sabe, eu tô numa fase de transição e, aos poucos, sei que vou voltar a escrever aqui. Entender o que tu passa, sentir uma conexão de sentimento é muito estranho e bom ao mesmo tempo. Me faz ter vontade de seguir topando com mais gente nessa vida. Agradeço a tua visita na esperança também de mais momentos bons pra gente. Que os ruins virem pó na cabeça.

      Beijo grande!

      • Jacque,

        Espero que não demore a voltar. Vai ser ótimo seguir te lendo. Coisa boa ter o mundo virtual pra topar com gente que a gente se identifica né? É uma maneira de ultrapassar a fronteira do mundo físico. E isso é mto bom. Bj bj bj.

Comentar

Seu email não será publicado.