Tudo sobre trabalho

A importância do Não

18 . 04 . 2015

Atenção: Não é mais um texto ensinando como educar seus filhos (pois zero conhecimento de causa).

Eu entendo perfeitamente a dificuldade em dizer não. Aquele “não” que vai magoar, que vai fazer mal pro outro, aquele pra um convite irrecusável…enfim, pode ser difícil, todo mundo sabe. Só não entendo uma coisa: não-dizer-não quando isso vai ajudar a pessoa a seguir em frente, quando ele tá te dando, no caso, fechamento.

Tô falando do “não” pra quem tá se candidatando a um emprego.

Eu, atualmente sem um trabalho “normal” e vivendo de freela, posso falar com propriedade aqui. E talvez esteja me queimando, caso algum possível entrevistador ache esse post, mas a verdade é que não me importo. Eu precisava falar.

A realidade >> tô procurando um trabalho novo, um lugar massa pra entrar, porque percebi que essa “vida de agora” não é pra mim. Tentei, não deu. Aí a gente faz outra coisa, tem outros troféu (sic), como dizem por aí. Me candidatei a algumas vagas, recebi alguns feedbacks, fui em algumas entrevistas. Se eu contar o tanto de e-mail não respondido, entrevista sem retorno…tu chora. Aliás, talvez você não chore, porque já passou por uma situação pior ou igual.
O fato >> o que custa, pra alguém do outro lado, na sua cadeira confortável ou até mesmo resolvendo broncas, que seja, o que custa pensar dois segundinhos fora da caixa? Pensar no outro? O outro que, talvez, ele já tenha sido um dia? A pessoa que sequer cria expectativas mais, afinal de contas, está tudo muito complicado. Que já entende o silêncio como não, mas que sempre tem uma pontinha de esperança, essa danada. Muita chateação e decepção (sabe quando você sai de uma entrevista achando que tá tudo certo e depois cagam pra você? tamo junto.) poderia ser evitada com algumas pequenas respostas, tipo:

  • Não
  • Você não faz o perfil da empresa
  • Não estamos procurando ninguém no momento
  • Não há vagas
  • A vaga já foi preenchida
  • Obrigada pelo interesse
  • Risos
  • Amiga, melhore

Pode ser que magoe, até porque, seguindo meus conselhos, a pessoa muitas vezes estará sendo grosseira rs. Mas causa fechamento, encerra uma possibilidade. Outro dia, quem sabe, talvez, mas agora você pode tirar isso da sua cabeça. Seguir em frente sem pensar que poderia ter sido diferente. Não leva mais que dez segundos pra enviar uma frase dessas aí.

Aí você me diz: ai, mas eu tenho muitas tarefas, recebi mil e-mails, como vou responder todos?

Cara, não sei, mas sei que dá. Me lembrei agora de uma coisa que aconteceu com meu irmão. Ele ficou encarregado de anunciar e selecionar alguém pra uma vaga de estágio. Ele fez um anúncio, colou no mural da faculdade, recebeu vários e-mails, respondeu todos, marcou as entrevistas. Escolheu uma pessoa. No final do processo, ele veio conversar comigo, perguntou algo como “Jacque, como eu faço um e-mail pra mandar pra quem não passou na seleção?”. A gente sentou, escreveu um texto rápido, desejamos boa sorte. Copiamos todos ocultamente e foi. Fechamento. Principalmente pra quem tá começando, procurando estágio, às vezes o seu primeiro trampo, isso é importante, pô. Talvez seu currículo esteja com erros de português, talvez seja uma piada, talvez simplesmente não foi dessa vez. De alguma forma, você vai procurar erros, achar ou não e vai continuar tentando. Vida. que. segue.

E ninguém precisa fazer como eu tô dizendo, mas sempre existe um jeito. Sempre dá pra ser legal com alguém, melhorar o dia de outra pessoa que precisa que seu dia seja melhorado. E se dessa vez não deu, certamente o vácuo não é a alternativa mais legal.

É só dizer não.

no

-    , , ,  -


O tal do cansaço

08 . 08 . 2014

Mais de uma semana sem postar no blog não porque não tenho assunto, mas por motivos de: cansada. Não só por conta do trabalho e da correria e agonia pra terminá-lo. Não só por causa das coisas que tenho pra resolver antes de viajar – gente, faltam vinte e dois dias. Eu sinto um cansaço que vem de tantos lados que nem consigo identificar. Não quero levantar da cama. Não quero ir na academia. Sequer tenho vontade de ir dormir. Como pode a pessoa deitar ~morta de cansada~ e demorar horas pra relaxar? Acho que isso é a pior coisa.

Mentira.

Tá sendo ruim não ter tempo pra estudar espanhol, pra ler um livro ou pra ver um episódio inteiro de seriado. Porque quando paro pra fazer qualquer uma dessas coisas, apenas não tenho vontade. Só quero tentar tirar o atraso do sono. E aí também não consigo, porque cochilos no meio da tarde ou me dão dor de cabeça (sim, vai entender) ou me fazem perder a  hora. Complicado.

Parei pra analisar esse drama todo e pra pensar porque eu ando tão sensível e cheia de pirepaque. Às vezes eu acho que foi um efeito dominó. Tô nervosa com a viagem, com a ideia de sair do país e me virar em outra língua, pensando em como vai ser passar vinte e sete dias longe de casa. E aí fico preocupada porque são as minhas primeiras férias de verdade, que eu tirei pra não trabalhar de jeito nenhum, e com isso começo a pensar no danado, na minha vida de ~empreendedora iniciante~ e em tudo que vai ficar por aqui.

Depois de tanto exercício mental, não sei é de nada.

Chega logo, 30 de agosto.

-    , , , , ,  -


25 descobertas em 25 anos

19 . 07 . 2014

Há dez dias, eu fiz meus 25. Me imaginava chegando nessa idade bem diferente do que sou e como estou hoje, mas não reclamo. Me sinto jovem, me sinto feliz e cheia de coisas pra fazer. Ontem me perguntaram minha idade e passei uns 3 segundos pra responder, evento este que dura uns dois meses pós aniversário. No fim das contas, muita coisa permanece igual.

Desde junho, tô amadurecendo essa lista. Será que consigo fazer uma nova por ano? Fica aí o desafio.

1. Estou velha o suficiente pra não me preocupar com celulites e futuras rugas, mas bastante nova pra me cuidar hoje e nem jamais pensar nessas coisas depois. Nunca me senti tão bem comigo mesma, e se penso em emagrecer, engordar ou alisar o cabelo, é por minha pura e única satisfação.

2.  Dá pra guardar dinheiro sim. Dá pra consumir menos agora pra realizar um puta sonho depois.

3.  Dá pra ser feliz no amor. E com um cara só, com um cara massa.

4. Pode sonhar em ter um filho, um cachorro, um carro e uma casa. Em ser brega.

5. É possível ter os melhores amigos do mundo, conservar e cultivar pessoas maravilhosas na vida. Mesmo sendo uma chata maior hahaha

6. É possível passar dois meses sem usar Foursquare e consequentemente não stalkear/ser stalkeada. Porém, com o estudo finalizado, estou voltando e achando o Swarm lindo.

7. Estar errado é a coisa que mais faz a gente aprender a ser melhor.

8. A sua fé não precisa ser igual a dos outros. Não precisa de cartilha, não precisa ser discutida.

9. Perder um pai é dos maiores sofrimentos que se pode viver. E dói mais ainda não saber expressar sentimentos e ver que muito do que você queria ter feito ficou só na sua cabeça. É preciso falar, demonstrar e cuidar.

10. Deixar o dinheiro em segundo lugar e colocar a satisfação pessoal, a liberdade e a paz na frente: dá pra ser feliz, sim. (Mesmo sendo lisa)

11. Sempre teremos cerveja pra aliviar a dor.

12. A natureza é uma fonte inesgotável de renovação pra alma.

13. O choro é livre. Não há vergonha nisso. Tem que chorar mesmo.

14. Viajar é provavelmente a melhor coisa dessa vida.

15. Saúde em primeiro lugar. Não tem essa de não gostar de ir ao médico, de não se cuidar. Tem que se ligar.

16. A paciência é um negócio que se conquista. Como viver estressada me dá gastrite e outros problemas, resolvi ser mais calma. Hoje, sou uma pessoa que explode pouco, espera mais e não reclama tanto.

17. Aprendi que usar batom vermelho, laranja, roxo, etc, é massa. É uma arma pra se sentir maravilhosa em dias ruins.

18. O amor não é uma constante. Ele muda e se transforma. Pode ser uma loucura e uma calmaria ao mesmo tempo. É leve, não é sofrimento.

19. Quando mais você bebe na vida, menos bêbado você fica.

20. É preciso se afastar de gente bad vibes, de gente escrota e de gente maluca.

21. É preciso defender seu ponto de vista.

22. É extremamente necessário comer carne. Como eu passei 5 anos sem um pedacinho de picanha?

23. Criar expectativas é uma merda, mas você sempre vai cair nesse erro e inevitavelmente vai se ferrar muito por isso.

24. Se você tem livros, música e seriados, domingos nunca serão chatos.

25. Tem que curtir viver. Todo mundo tem problemas, tem seus momentos ruins e suas tristezas pra chorar. Mas, po, viver é massa demais.

sobre o #12. foto do instagram

sobre o #12. foto do instagram

-    , , , , , , ,  -


Resenha: Como encontrar o trabalho da sua vida

03 . 06 . 2014

COMO ENCONTRAR O TRABALHO DA SUA VIDA
Roman Krznaric

Ano: 2012
Editora: Objetiva
Páginas: 176
Citação: “Você tem tanta liberdade e tantas oportunidades à sua frente.”
Nota: 9

 

“O desejo por um trabalho gratificante é uma das grandes aspirações da nossa era e este livro inspirador revela como podemos realizar este objetivo. Ele explora as contradições que enfrentamos para ter dinheiro e status e ao mesmo tempo fazer algo significativo e em sintonia com nossos talentos. Recorrendo à sociologia, psicologia, história e filosofia, Roman Krznaric escreve um guia prático e inovador para nos ajudar a seguir um rumo nesse labirinto de opções, superar o medo da mudança e encontrar uma carreira que nos fará prosperar.”

Terminei este livro faz um mês mais ou menos. Minha relação com ele é bem aleatória: comprei porque li essa entrevista com o Roman Krznaric* e achei o cara incrível, até porque o livro não me interessaria sem essa apresentação. Quis conhecer porque tava numa fase conturbada tanto profissionalmente quanto emocionalmente. Comecei desse jeito, li metade do livro mais decidida e, ao terminar, achei que estava seguindo muito da filosofia do Roman. Me identifico bastante com a obra.

Como encontrar… usa exemplos de pessoas comuns e de personalidades históricas que fizeram várias mudanças de atitude na vida profissional — mudanças estas muitas vezes radicais — e que transformaram a vida como um todo. São pessoas que enfrentaram seus medos e dilemas em busca de carreiras mais gratificantes. É velho lance de achar sentido e felicidade no que você faz.

Krznaric, esse moço de nome fácil, usa pesquisas científicas, cita outros estudiosos e conceitos pra defender seu ponto de vista, mas também propõe exercícios ao leitor. O massa é isso: o livro não fica só na teoria, você não fica apenas admirando lifestyles alheios e pessoas que viram generalistas renascentistas ou especialistas seriais, como ele mesmo define. É realmente autoajuda porque você termina capítulos respondendo perguntas mentalmente, rascunhando ideias, procurando se entender e entender melhor seus anseios. Pra mim, essa foi a parte mais importante do aprendizado. Por isso, indico para indecisos e para os que acham que tem certeza do que querem. Vamo chacoalhar as cabeças :)

 

*Roman é um pensador cultural e membro fundador da The School of Life, que oferece cursos e possui uma série de livros dedicados a explorar algumas questões fundamentais da vida.

-    , , , , , ,  -